• Revista Sphera

A Partilha do Poético 5 - Lançamento da Revista Sphera



A partilha do poético abre a celebração dos 160 anos de nascimento de Cruz e Souza com reflexões, leituras e lançamento da Revista Sphera: Habitações do Encantado no próximo 01 de novembro


O programa A partilha do poético chegará, na próxima segunda-feira 01 de novembro, ao seu primeiro ápice: a celebração da vida e obra de Cruz e Souza (1861-1898) e lançamento da Revista Sphera: Habitações do Encantado, periódico que tem como finalidade maior promover interações potentes com o maior poeta negro do macrossistema literário lusófono, referência inequívoca de grandeza ética e estética, de insubordinação contra estruturas históricas reacionárias.


O evento, que acontecerá de 16 às 18hs (Horário de Brasília) no Canal Revista Sphera no YouTube, contará com a participação de cinco dos mais importantes intercessores da obra de CS no Brasil: Andréia Carvalho Gavita, poeta e webdesigner curitibana, responsável pela Webprodução de Sphera, Antônio Carlos Secchin, poeta, ensaísta, professor da UFRJ e membro da Academia Brasileira de Letras, Godofredo De Oliveira Neto, escritor e professor da UFRJ, Ivone Daré Rabello, ensaísta, pesquisadora e professora da USP, e Ronald Augusto, poeta, músico, professor e crítico literário.


A Revista Sphera vem sendo construída desde janeiro deste ano num trabalho intenso, colaborativo e voluntário, que conta com a participação direta ou indireta de mais de cem autores brasileiros e estrangeiros, alguns dos nomes de maior destaque em suas respectivas áreas de atuação, no campo acadêmico, na cena literária e cultural, os quais atenderam generosamente a convite para integrarem o corpo de Conselheiros do periódico ou encaminharem seus textos para publicação.


O nome do periódico, em sintonia fina com a obra de CS, é referência da sua linha editorial aberta, abrangente, agregadora, em contraposição frontal a um tempo fechado, reducionista, desagregador, movido por overdoses de ódio, de intolerância de todo tipo impulsionada por preconceitos de ordem racial, econômica e sexual, tudo isso que, no caso específico do Brasil, remete ao cenário que barbarizou e matou o imenso poeta negro.


Revista-território, perspectivada como um território virtual, o sobrenome de Sphera (Habitações do Encantado) remete ao bairro suburbano que CS, sua mulher Gavita Rosa Gonçalves e filhos habitaram na cidade do Rio de Janeiro nos idos de 1890: o Encantado. Também remete à perspectiva heideggeriana do habitar poeticamente o mundo, o que se processa pela via da linguagem, e, contraditoriamente, à perspectiva weberiana do desencantamento do mundo produzido pela Modernidade.


Tais referências fazem parte do real imediato de Sphera, cujo real profundo é africano, é Èsu, é o Orixá da Comunicação, a palavra que significa também "Esfera" em Yorubá, que também contém o sentido de infinito, daquilo que não tem começo nem fim, uma particularidade notável da Obra de CS tanto quanto de outros sujeitos diaspóricos de origem africana, como o poeta martinicano Édouard Glissant (1928-2011), cujos dez anos de morte também se completaram em fevereiro passado, e o músico estadunidense Thelonius Sphere Monk (1917-1982).


O primeiro número de Sphera, que terá periodicidade anual, exibe CS em registros diversos - cinema de Sylvio Back, cartas a Gavita, ensaios de Cláudio Daniel e Antônio Carlos Secchin, resenha -, destaca o centenário de morte do poeta simbolista Alphonsus de Guimaraens, do "partido" de CS, e os 90 anos de vida de Augusto de Campos, referência mundial de compreensão crítica do Simbolismo, rememora Ivan Teixeira, um dos maiores amigos críticos de CS no nosso tempo, apresenta ensaios notáveis sobre neo-simbolistas brasileiros, sobre a relação dos índios com a literatura, sobre o extraordinário Lima Barreto, a instigante poeta, crítica e artista plástica portuguesa Ana Hatherly , os cubanos Lezama Lima e Reinaldo Arenas, o peruano José María Eguren, o singular Murilo Mendes e o poeta e artista plástico catarinense Rodrigo de Haro, falecido recentemente.


Também estão no primeiro número reflexões argutas sobre a prosa de Edgard Pereira, Jean Pierre Chauvin e Francisco de Morais Mendes, homenagem crítica a "Negativo", bela coletânea de poemas de Augusto Massi que completa 30 anos de lançamento, ensaio profundo sobre a obra perturbadora do português Luís Serguilha, reflexões sobre os primeiros passos do cinema, mostra da poesia visual de Marcelo Sahea, Ronald Polito, Mário Alex Rosa, Carlos Barroso, Fernando Aguiar e João Diniz, poema de Heine em tradução de André Vallias, poema instigante de Neruda em tradução de Guilherme Mansur, fragmento de Ovídio em tradução de Raimundo Carvalho, poemas de Luís Turiba em tradução ao espanhol.


A produção plástica dos mineiros Liliane Dardot e João Rodrigues e a fotografia de João Evangelista Rodrigues também estão no primeiro número, que traz ainda trinta poetas dos mais importantes em atividade, que dialogam em graus diversos com o Simbolismo, alguns ainda sem o devido reconhecimento, outros tantos já consagrados. Entre eles, Armando Freitas Filho, Paulo Lins, Fabrício Marques, Élio Ferreira, Régis Gonçalves, Nicolas Behr, Marcos Fabrício Lopes da Silva, Maria do Sameiro Barroso, Floriano Martins, Ésio Macedo Ribeiro, Nuno Rau, Ricardo Silvestrin, Marcellus Bezerra, Jair Alves Corgozinho Filho, Osvaldo André de Mello, Aroldo Pereira, Sidneia Simões, Luiz Roberto Guedes, Gildes Bezerra, Tânia Lima, José Américo Barros, Alcides Buss, Marcelo Ariel, Sâmella Almeida, Fernando Salomon Bezerra, Jardel Dias Cavalcanti e Ronald Augusto.

Sphera apresenta também a produção narrativa de Edgard Pereira, France Gripp, Péricles Prade, Edson Lopes, Plínio Camillo, Arthur Cecim, Francisco de Morais Mendes, Nicodemos Sena e uma peça teatral de Fausto Antônio. E mais ainda: entrevistas exclusivas com o poeta, ficcionista e ensaísta Aguinaldo Gonçalves, cuja obra arrasta referências simbolistas e especialmente souzianas, com a artista plástica mexicana Ana Teresa Fernandez, com o escritor paraense Vicente Franz Cecim, vítima da Covid-19, uma de suas últimas entrevistas, e com o poeta, romancista, ensaísta e tradutor Décio Pignatari.


O programa A partilha do poético será exibido ao vivo no endereço: link. Cada participante discorrerá sobre a temática e, na sequência, haverá interação com o público. O conteúdo fica disponibilizado no Canal e também na Plataforma de áudio SoundCloud. Participe! Inscreva-se no Canal Revista Sphera, espaço destinado exclusivamente à abordagem de poetas e poéticas que estão no horizonte cognitivo de Sphera. Anelito de Oliveira

142 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo