• Revista Sphera

Dez poemas de Marcos Fabrício Lopes da Silva


Marcos Fabrício Lopes da Silva


a tristeza faz passarinho

pular de gaiola em gaiola

achando que a felicidade

só tem gosto de alpiste




ORQUESTRA DE ENXADAS


ouço uma orquestra de enxadas

chorar a morte do lavrador

a pá entoa um hino de louvor

a quem sempre plantou

e nunca colheu

o que de fato mereceu

o trator por cima passa

mas o calo da mão ultrapassa

de grão em grão

ele enchia o papo dos outros

e lia o céu como poucos

o sol de fato o castigava

mas a lua toda nua lhe cantava

rosinha no forró de luiz gonzaga




ROSÁRIO DE VERSOS


contemplo-te esplendor

vestido de aquarela

meu coração

assim encontra

pouso alegre

no macio verde da esperança

o céu aparece

no sublime sabor de tua boca

a preparar compreensões floridas

inspirado em teu doce juízo

acolho pétalas e espinhos

com a mesma delicadeza

presente no lindo coral de pássaros




O GOL E O MICO


o amor é um gol de bico

é um gol de canela

é um gol de barriga

é um gol olímpico

é um gol espírita

é um gol sem querer

é um gol chorado

é um gol ilegal

é um gol suado

é um gol decisivo

balançando as redes da solidão

que engoliu o frango ridículo





Colônia cheira bem.

Metrópole cheira mal.




acabou a guerra fria

começou a guerra estupidamente gelada

até a pomba da paz virou homem-bomba




EMBALO NOTURNO


sei de cor

a cor de sua alma

a cinza das horas

não leva embora

o vermelho da intensidade

nem o passar do tempo

desbota a felicidade dos lábios

sapateando no pique do brilhar

o tempero da gente

tem sabor de outra ordem

vem do toque de acolher carícias

com o embalo noturno

saindo faísca




TIM-TIM


estou diante de um milagre

não daquele que vem do céu

refiro-me à voz

que deixa todos bem vivos

diante da arte

de transformar pingos de gente

em azul da cor do mar





Os donos do poder são os piores traficantes.

Eles traficam a droga da obediência.




DOIS CANDANGOS


os dois candangos

tomaram a praça

que os três poderes roubaram

e decretaram revolução

demolindo os palácios

fizeram das asas

outra união

colocando o país

nos eixos

esplanada

não tem mais

mistério

no congresso só entra honesto

pela ordem

papo reto

honestino

é modelo

de progresso


123 visualizações1 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo