top of page

Um certo João - Organização e apresentação de Anelito de Oliveira


João Paulo com a filha Joana, em foto do arquivo da família JPC.



A morte do jornalista mineiro João Paulo Cunha foi um dos acontecimentos mais tristes deste 2022. Ele nasceu em 1959 na Cidade de Belo Horizonte, Capital do Estado de Minas Gerais, estudou Filosofia, Psicologia e Comunicação. Ao longo dos anos 1990 e da primeira década deste século, tornou-se um dos mais célebres nomes do jornalismo cultural brasileiro. Brilhou intensamente nas páginas do Diário Estado de Minas escrevendo com elegância literária e rigor científico sobre temas diversos: música, letras, ideias etc. Esteve ao longo de vários anos ali à frente do Caderno Pensar, criado pelo Jornalista e Político Angelo Oswaldo de Araújo Santos. João era fabuloso – também - pela atitude ética diante do tempo presente, pelo seu humanismo candente. Intelectual movido por ideais elevados, capaz de tomar especialmente o partido sofrido dos outros injustiçados, foi e continuará sendo motivo de orgulho dos seus contemporâneos mais próximos e mais distintos. Alguns destes atenderam generosamente ao convite de Sphera e aqui celebram um certo João que tão cedo nos deixou e tanta falta nos faz e fará.


Dossiê João Paulo Cunha


Legado de ensinamentos por Clara Arreguy O homem da alma delicada por Adriana Silveira O ateu que adorava a Bíblia por Ângela Faria A última conversa por Sérgio Rodrigo Reis JP CUNHA em seu ilustrado e engajado labirinto por José Edward Lima Que tal um samba? por Mirtes Helena Scalioni Os desafios do jornalismo cultural e seu compromisso político com a felicidade por Nisio Teixeira

152 visualizações0 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo
bottom of page