top of page

Um poema inédito de Armando Freitas Filho

Atualizado: 15 de fev. de 2023

Poema escrito para o Dossiê Drummond, em homenagem ao poeta Carlos Drummond de Andrade, que completou 120 anos de nascimento em 2022.


Armando Freitas Filho por Bel Pedrosa



LIVRO ILUSTRADO


Sou da casa.

Sou uma casa inteira.

Janelas com grades.

Ferrolhos nos olhos

das vidraças fechadas.

Trancas nas portas.

Armários embutidos

nos confins dos corredores

das salas e quartos

banheiros, copa e cozinha

de ladrilhos incompletos

de louças gastas, trêmulas

das escadas que descem

nos jardins despenteados

no porão escuro do solo

goeldi-dostoiéviskiano.



 

Armando Freitas Filho, poeta. Teve sua obra reunida em Máquina de escrever: Poesia reunida e revista, 2003. Depois vieram Raro mar, 2006, Lar, 2009, Dever, 2013, Rol, 2016 e Arremate, 2020. Recentemente publicou seu primeiro livro de prosa: SÓ PROSA, 2022.

232 visualizações1 comentário

Posts Relacionados

Ver tudo

1 Comment


Guest
Feb 15, 2023

Belo poema do Armando Freitas Filho. Parabéns a ele, parabéns à revista "Sphera"!

Roberto B. de Carvalho,

coeditor (com Flávio Vignoli) da revista "ágora", de poesia e tipografia (Belo Horizonte)

Like
bottom of page